Novas mentes brilhantes no Mercado



Ninguém sabe o quanto é aliviante o fim de uma faculdade. Ninguém a não ser quem já conclui o ensino superior. Você muda de humor completamente, desestressa e até emagrece (é o meu caso). Mesmo com dois empregos, trabalhando de 8h às 20h e dormindo todo dia pra lá de meia-noite, a vida fica bem mais alegre e leve.

Você deve estar se perguntando "Mas como assim? A mina trabalha o dia inteiro e a vida agora é uma mar de rosas sem espinhos?". Sim, meus caros amigos. Isso acontece porque agora temos tempo para trabalhar a mente criando e apenas criando, e não se importando com notas e trabalhos que enchem o saco. Agora somos profissionais, ganhamos dinheiro com o nosso trabalho e ainda podemos gastar do pouco tempo que temos criando e criando e criando e criando.

Criar: verbo transitivo que significa dar existência, inventar, gerar, produzir, originar. No gerúndio mostra que a atemporalidade torna você em um artista, em um gênio, um filósofo, um pensador. Você gasta tempo pensando em algo para se criar que não seja comum, tão pouco normal, mas sim original.

É difícil enxergar no mercado de profissionais atual coisas que fujam à regra, que sejam exceções, que tenham criatividade não fútil e tosca, mas sim autêntica. É nesse sentido que na quinta-feira (21) da semana passada reunimos eu, Maroca, Jonas e Chimbinha pra bater um papo na Quitinete. E entre uma caipiroska, uma heineken e um suco de framboesa e outro, começamos a criar.

A quem tenho oportunidade eu sempre digo que é preciso inovar, fazer alguma cosia de diferente, porque o mercado está receptivo para coisas novas. A maioria das pessoas esperam que um Sheldon Cooper surja e faça a água virar Coca-Cola para depois poder consumir. Mas não é assim. Podemos criar mesmo sem ter a inteligência de Sheldon, apenas usando o máximo do potencial das nossas criatividades e se alimentando das criatividades de quem nos rodeia.

Para mostrar que não é impossível criar com tanta facilidade quanto se bebe água, ou se fica bêbado, eis alguns exemplos que não te deixarão desanimar. 

O Thiago Maroca (@thiagomaroca) foi responsável pelo laboratório de TV na minha faculdade. Mesmo não sendo um "professor" (daqueles licenciados a ensinar) ele sempre agitava a galera pra porduzir um curta até que conseguiu. Em apenas um final de semana ele gravou "De repente é um filme" que foi um sucesso na Semana de Comunicação. Na quinta-feira ele falou em criar mais e muito mais, e usou uma frase que eu achei fantástica: "Cara, eu uso o meu ócio para criar". Não é fantástico isso? Você criar em meio ao ócio, e normalmente é nesse tempo que você tem as ideias mais mirabolantes. O Maroca ainda tem um blog "Blog do Maroca" e também é o autor do livreto "As Pérolas do Pava" que você encontra na versão online clicando aqui. Confira a página do Maroca no YouTube.

O Jonas Rocha (@jonasroch) sempre disse que queria criar algo novo,desde quando eu o conheço (2007). Embora o tempo da faculdade e o trabalho o consumisse, todo dia ele estava tendo ideias para quebrar a sua rotina. Com o semestre final da faculdade ele ousou e fez uma monografia sobre publicidade e advergame, que todos sabemos tem um campo de pesquisa ainda muito limitado. Com o 9,0 de nota final da monografia Jonas encorajou-se a criar mais e mais e mais. Atualmente ele é o fundador de uma consultoria em mídias sociais, além de alimentar sempre o @gamerplanet, um Twitter apenas com notícias do mundo dos vídeos games.

O Chimbinha (@paulpers)é o mais lerdo de todos, o mais atrasado, mas com um processo criativo muito intrigante. Além de ser padrinho da Nayara ele tem se dedidaco a escrever um livro de ficção científica que ele quer que saia primeiro em mangá. Gasta horas e horas do seu ócio criando e inovando.

Eu (@anapaulabessa) além de alimentar esse blog, tô tentando alimentar o IpêrCult, colocar o poscast no ar (que gravamos o ano passado) com a ajuda do Jonas, além de estar junto na consultoria de mídias sociais e recentemente me juntar às minhas flores-de-liz para criar uma projeto de Mídia socialmente responsável. Além de sempre estar trabalhando em conjunto com Maroca, Jonas e Chimbinha auxiliando em alguns processos criativos.

Viu?! Não é difícil criar, basta apenas criatividade. O mundo precisa de coisas novas e, principalmente, ele precisa consumir coisas novas. Chega de BBB, Fazenda, Pânico, CQC, Supernatural e The Big Bang Theory, crie você um novo produtor. Hoje em dia com a internet e suas redes sociais não é difícil inovar e criar algo que faça a diferença nessa sociedade de consumos elitistas com pouca cultura e informação social.

Keep Rocking n' Creating!



Ana Paula Bessa
The sunshine of a new mind!!!!

1 comentários:

Israel disse...

Haha! Conheço todos e digo que esse é um quarteto de "gente boa" (e que se entenda gente boa no sentido literal e figurado, em talento e em personalidade) que caso se unissem em prol de uma criação poderia dar muito certo - mesmo cada uma tendo as suas metas incividuais. Já pensaram a respeito? Mas vejam só: o que mais é estimulador nesse texto é que, por maiores que sejam as dúvidas diante do cruel mercado de trabalho e por mais desanimadoras que tenham sido as faltas da nossa instituição, ainda assim, fizemos amigos.
=)

Quantos estão aqui

Compartilhe!

Twittando

Twittando

Pergunta aê!

Ocorreu um erro neste gadget

Redes Sociais

Minhas Publicações

Não sou otária!

Jean-Jacques Rousseau

Jean-Jacques Rousseau

E disse Rousseau...

"Portanto, nunca se saberá com quem se está lidando: será preciso, pois, para conhecer o amigo, esperar as grandes ocasiões, ou seja, esperar que já não haja tempo para tanto, uma vez que é para essas mesmas ocasiões que seria essencial conhecê-lo."
no século XV

Seguidores